Sunday, November 25, 2007

Histórias Possíveis - primeiríssima edição

Saiu hoje a primeira edição de Histórias possíveis. Mais uma "reinação" do André, meu irmão siamês, juntando um monte de escritores em torno de histórias mais ou menos impossíveis de se encontrar nos jornais. Porque o real é muito mais incrível do que sonha nossa van-literatura...
Leiam, leiam, embarque em nossa van que ela te leva longe daqui, aqui mesmo. Neste primeiro número, um único homem (Wesley Peres) com suas donas flores: Daniela Mendes, Dheyne de Souza, Suzana Fuentes e esta que vos escreve.
E agora, mais um capítulo da novelinha que virou novela e agora já está se metamorfoseando em novelona:

Capítulo XIV

Quer mais um travesseiro?

Não.

Toma um golinho, vai...

Não quero. Nem quero que você fique aqui. Estou me sentindo mal. Quero ficar sozinha, quero dormir.

Bobagem. Imagina se eu ia te deixar sozinha assim, nessas condições.

O que é que você está fazendo?

Montando a câmera.

Mas, que idéia! Quem disse que eu ia permitir que você me filmasse na cama?

Que é que tem?

Isso é invasão de privacidade! E eu estou horrível!

Você está linda, como sempre.

Estou arrasada.

Nem um pouquinho.

E chateada.

Por quê?

Fiquei imaginando a sua cara de decepção, quando não me encontrou à tua espera.

Eu pensei que tinha acontecido alguma coisa.

Pensou nada. Você achou que eu estava puta com você e que tinha resolvido não ir. E aí ficou puto comigo, foi ou não foi?

Foi. Mas também não foi. Por que no fundo eu sabia que tinha acontecido alguma coisa. Ainda bem que eu cheguei. Se eu não estivesse aqui você não iria ao médico.

Bobagem ir a médico. É só uma gripe. É só tomar um chá de limão que amanhã estou boa.

Estou vendo, uma gripe de nada, né? Sabe quantos graus de febre você tem? 41.

Bem que estava sentindo dor de cabeça.

Bebe um pouco d’água, vai.

Obrigada. Desliga essa câmera. Não quero que você me filme assim. Vai prá rua passear, vai.

Deixar você aqui sozinha? Nunca.

Quero dormir.

Dorme, que eu tomo conta de você.

Não, vai passear. Não quero que você me veja dormindo. Fico com vergonha. Inda mais, com essa câmera. Você quer me filmar babando e roncando, prá me envergonhar.

Eu nunca faria isso...

Faria, sim. E eu quero dormir. Por que você não sai para comprar uma fruta para mim. Quero um pêssego, bem gostoso.

Será que está na época de pêssego?

1 comment:

Amauri said...

Olá Lucia,
Acabo de ler seu blog, e a sequencia da novelona...to viciado eheheh!!
A propósito, você viu a lua hoje.
Pois é agora do meu ap eu posso ver a lua nascer la na serra do mar.
Pensei em você quando despontou aquela maravilha dourada no horizonte.
Que sera que voce esta fazendo a esta hora? Será que voce tambem esta vendo a lua enquanto escreve?
Grande beijo!!