Sunday, December 16, 2007

Domingo de sol e de... feijoada.

Não sei qual a conjuntura astral que levou todos os cariocas a resolverem comemorar o fim de ano com feijoadas. Talvez porque a "coisa esteja preta", já comi feijoada em aniversário, em confraternização, em reunião de família, em formatura... Isso, já que os aniversários são dois, dá uma média de uma feijoada a cada três dias nestas últimas duas semanas. Mas eu não reclamo, Adoro feijão, preto, com caldinho puxando para o salgado, misturado com a couve bem fininha e a laranja e sua pausa refrescante entre garfadas sólidas. Eu adoro, mas o corpo protesta. E se expande. Não vou mais aceitar convite para feijoada. Nem para as festas bem brasileiras, com cardápios que misturam desde rabada a empadinha de bobó de camarão. Aviso, portanto aos amigos: só aceito convites para chá de tília com madalenas. Portanto, não se admirem, hoje, quando eu chegar na feijoada e recusar, pedir somente uma águinha quente para mergulhar meu pacotinho de chá de boldo (sim, e também aceito o de erva-doce). Meus olhos passearão gulosos pelos pratos fumegantes e apetitosos mas, asceticamente, resistirei, pois penso nas rabanadas que não tardam a chegar!
Estou com um outro problema sério,também de gula, mas de um tipo diferente: Imaginem que estou comprando os presentes de natal para os amigos, e as coisas que gosto de dar são aquelas que gosto de receber: livros, CDs, DVDs. Então comprei um livro para A. Enquanto esperava para pagar, comecei a folhear a obra e fui fisgada, comprei um para mim também. Dei um DVD para B, mas já sei que vou voltar na loja para comprar um igualzinho para mim. Fui comprar um livro de uma autora que aprecio para C e de um autor que adoro para D, acabei comprando para mim um dele que ainda não tinha. O dela, estou relutando em entregar! O pior é que não tenho tempo para ler tudo isso, pois estou com uma pilha de livros que só faz crescer, e me olhar desaprovadoramente quando me aproximo com mais um exemplar para aumentá-la.
Socorro.
Alguma receita para conseguir me moderar? Por favor, ajudem.

3 comments:

Eugenia said...

Dearest, leio de você de Campos do Jordao, movida a chás a torradas, imaculada carmelita. Submeti-me 'a ciurgia há tanto adiada. Apesar da dorzinha, ainda não sinto gosto nem cheiro de nada. A vida em estado bruto, sem anestesia - nessa minha altura, a boa mesa e o bom copo.
O bom é que emagreci. Beijos. Leio você até o Natal,
Eugenia.

Guido Cavalcante said...

Aqui vai uma dica pra deixar a feijoada bem leve: assim que terminar o cozimento, desligue o fogo e jogue um copo cheio de suco de laranja pera na feijoada. Uma misturadinha de leve e pronto. É incrível o que acontece. Aprendi essa quando editava o programa Gema Brasil, do Rodolfo Bottino

Amauri said...

Olá Lucia,
Desculpe, faz tanto que não te escrevo, ando meio atordoado neste fim de ano, muito giro por aí, voce sabe.
Mas não deixei de ler nada seu, não aceito ficar em hotel que não me oferece recursos para eu acessar seu blog.
Bom, fico feliz que voce esta recusando feijoada, eu nem recusar posso, pois nem posso comer feijoada mesmo.
A receita do Guido me parece boa, mas nem isso me ajuda.
Aproveito para te dizer" "Feliz Natal e um Maravilhoso 2008".
Ah! vai para a galera toda que lê e comenta seu blog.
Forte abraço a todos e Felicidades nestas Festas!!