Sunday, September 14, 2008

Não posso mais esperar!

Estava aguardando um sinal verde de meus amigos cineastas, mas não aguento mais esperar para colocar à disposição de meus amigos de blog os trailers de Linha de Sombra. Sabe como é, filho novo, que nos obriga a mil cuidados, que provoca mil esperanças, que nos cansa e nos encanta...
Compartilhem comigo a emoção de assistir os vídeos (que divulgo aqui mesmo sem o sinal verde) e de se maravilharem com o talento da equipe que os realizou. Como uma pequena filmagem envolve gente! Desde a roteirista (Natália Klein) à diretora, ou produtora, (Debora Pessanha) -- me perco entre tantas funções e atribuições. Nos bastidores, uma multidão, mas só me lembro do nome de mais duas pessoas, o Rodrigo Brazão e a Juliana Bach. No entanto, conheci mais duas participantes da equipe e lamento muito essa minha memória cheia de furos. Imaginem: tem alguém com a câmera e mais alguém responsável pela iluminação. Alguém tem que fazer o casting, ou seja, a escolha do elenco, e ainda tem a música, a montagem, os cálculos, o transporte. Depois as pessoas me corrigem, quando digo que escrever é fácil... Fácil em termos de equipamento e técnica material, é claro. Um lápis e um papel, uma varinha e areia, e já está! Anchieta, segundo a tradição, escreveu o primeiro poema brasileiro nas areias de uma praia. Como dizem os italianos, si non è vero... Quer imagem mais linda que o primeiro poema de uma terra sendo escrito na própria terra?
Mas estou escrevendo demais, e nada de vídeo! Então, vamos às imagens, pois é uma delícia essa coisa de misturar a escrita e a imagem e a música, tudo aqui!
video

2 comments:

Guido Cavalcante said...

O que vemos no vídeo é um trailer? De que filme? Ou é peça de divulgação do livro/editora? Não ficou claro do que se trata. Trabalhei muito tempo em promoções para o TeleCine, editando aquelas peças de divulgação de filmes. Sempre adorei editar estes pequenos filmes de 3 minutos contando todo o filme. Acho que fui muito bom no negócio - e discuto a péssima qualidade de filmes promocionais e dos traileres dos filmes brasileiros. São monótonos, dão primazia à palavra ao invés da imagem e na maioria das vezes, terminamos sem saber do que trata o filme que ele promove. Sem dúvida, os melhores trailers e promocionais são os americanos - têm aquela qualidade que resumo na palavra "drive" e que podemos entender aqui como "velocidade". Outro ponto importante é o uso da música, mas já fiquei muito chato :-(

André said...

Lindo, mana. E é um dos meus contos prediletos do livro.

P.S.: Linda atriz.